quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Super abraço !

Povo do bem, amigos blogueiros queridos.
Um super abraço, bom Natal (é, fazer o que, né, tem que entrar no ritmo, hehehe) e um ótimo ano novo.
Obrigada por estarem aqui comigo neste ano. Obrigada pelo carinho de todos, atenção, as palavras bacanas, de carinho, atenção. As discussões, comentários, sugestões, opiniões.
Vocês todos foram muito importante para mim !
E espero encontrar todos aqui em 2010. Os novos que se apresentarem, serão muito bem vindos.
Aos "velhinhos", sintam-se abraçados e desejo de coração, que tenham muita paz, saúde, felicidade, carinho, nestas festas.

Muuuuuuuuuitos beijos e abraços e até 2010, povo querido !!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Adios !


Eis que 2009 já tá se indo. E sinceramente já dei meu adeus.
Não faço muito retrospecto do ano findo. Às vezes no início do ano, criamos metas para o ano que está iniciando. Nem sempre conseguimos cumprir. Chega o final e causa a frustração. Sempre quero fazer coisas neste novo ano, mas não traço metas exatas, não sei o curso da vida.
Este ano que está indo, digo que já dei o meu adeus porque foi um ano que não causou furor, até algumas tristezas, é um ano que não vou colocar troféu na prateleira.
Almejei coisas que se iniciaram, estão sendo construídas, evoluindo. Isso foi bom.
Mas tive várias momentos revoltos.
Foi ano de perda na família, tristeza.
Doenças se abateram, causaram desgastes físicos. Senti a fragilidade do ser humano, que pode te escapar por entre os dedos.
Senti a fortaleza do ser humano, que engrandece, quando senti a necessidade em fortalecer o outro.
Vivi ou revivi momentos que, acho, foram necessários para que não sejam mais repetidos.
Retomei vivência que se não fosse feito seria sempre motivo da dúvida. Às vezes é necessário provar novamente o veneno para ver o quão maléfico é. Depois podemos nos tornar imunes a isso. Agora sei que estou. Mas temos que viver.
Temos que provar o gosto amargo, azedo ou doce para termos o veredicto.
Conheci pessoas que me deram prazer, de várias formas. Umas não foram suficientemente boas para se tornarem relevantes na minha vida. Outras serão, ficarão, viverão.
Aprofundei laços com pessoas que impressionantemente me mostraram o quão bom é poder contar com a amizade de alguém. O quão bom é ter com quem contar. Saber que tem pessoas que estão ali, ao teu lado, porque aquela amizade vale a pena. Toda a ajuda não será cobrada.
Batalhei por crescimento profissional e findei o ano com atitudes e momentos valiosos.
O ano está findando, não vou dar palmas a ele, mas tenho em mim que criar metas para o próximo ano também não vale.
O final do ano é um momento de desligar as baterias. O ano seguinte não está programado num caderninho. Eu quero que ele chegue, sim, mas para eu viver mais, com mais pessoas, conhecer mais as que já conheço, conhecer outras tantas. Quero acreditar mais ainda que toda forma de carinho, afeto, amor vão estar vivas e presentes.
Dou um adeus para 2009 não com mágoas, tristezas, afinal de contas isso que é viver, todas as formas de sentimentos devem estar vibrantes. Senão, não seria vida, não é mesmo?
Não faço projetos nem almejo coisas para 2010 com muito afinco. Umas estarão dando continuidade. Mas outras tantas quero que venham me surpreender.

E aí, manda ver, 2010. É tudo contigo, tô no teu aguardo !

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Dei férias pro Papai Noel



Muitos que lerão isso poderão pensar, “mas essa mulher é uma chata”, pois não gosta de tanta coisa, contesta outras tantas, reclama demais umas quantas.
E que eu tenho uma parcela chata, reconheço.
E mais uma que direi que não gosto é Natal.
Nunca quis e nem parei para assimilar o significado, o contexto, o curso que engloba a simbologia do Natal.
Não que ele me remeta a lembranças ruins. Até que não.
Minha infância foi muito bacana. Dentro desse mundo cheio de tristezas, cheio de maldades, pobreza tanto de espírito quanto monetário, a minha infância foi legal. E quando criança, lembro que a festa em volta do Natal era muito legal. Criança é um barato, mesmo. É uma fase que ninguém poderia deixar de viver a demasia. Muitos perdem a inocência, a fantasia, a alegria da infância, visto o modo que vive. Isso é triste, muito triste.
E eu vivi minha infância com todas as características que acredito que deve ter. Inocência, fantasia, alegria, sem preocupação e muita brincadeira.

No Natal, nos reuníamos na casa dos meus avós maternos. Uma fazenda linda, vacas, cavalos, celeiro, galinhas, pomar imenso e muito gramado pra correr. Minha mãe tem uma família grande, nove irmãos. Então considerando, marido, esposas, filhos, namorados, netos a festa era enorme. Regado a muito churrasco, cuca da vó e roscas de polvilho que nunca mais saboreei igual.
Mas não era o Natal que ali eu estava vivenciando, celebrando. Era a reunião de uma família grande, alegre, amável, unida. Não havia trocas de presentes, afinal nem todos dispendiam de recursos financeiros para comportar um presente físico. Havia troca de abraços, beijos, risadas e correrias pelos campos.
Não havia Papai Noel com seu saco vermelho cheio de presentes a distribuir. Aliás meu lado rebelde se manifestava desde muito cedo e no Natal ele se mostrava para o bom velhinho, que nunca fui nem um pouco simpatizante.
Aquele ho-ho-ho era mais assustador que filme de terror.

Cresci, amadureci, a família já não está tão unida. Meus avós se foram, a festa já não é tão grande, tão cheia de abraços e muitas ausências, distâncias. E meu sentimento pelo Natal continua o mesmo.
A única coisa que permanece e que durante os anos aprofundei é que o Natal não deve ser um dia demasiadamente apreciado e deixar de lado os outros 364 do ano.
Aquela correria desenfreada pelas lojas, consumo exacerbado. Uma euforia atrás de presentes para presentear aquele amigo, parente, namorado, marido, filho.
Troco uma sacola de presentes por um abraço do amigo que não vejo há tempos, troco uma caixa enorme e colorida pelo beijo da minha mãe e meu pai, deixo o presente lindo e caro pelo carinho do namorado. Não quero nada de presente físico, muito menos caro.
O meu presente não quero no Natal, quero todos os dias do ano, aquele beijo gostoso, o abraço apertado, o carinho quente.
E este eu não espero Natal para dar nem quero esperar para receber.
Troco cantos de ho-ho-ho por gargalhadas de ha-ha-ha-ha.

Se for este o contexto do dia do Natal, celebro ele todos os dias do ano e nem precisa chamar o gorducho pro hohoho !

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

A dificil arte de não generalizar




É que tudo na vida tem a tendência da generalização. Ao menos eu, tenho que me cuidar o tempo inteiro. Tenho o velho hábito de querer botar tudo no mesmo pacote da mesma categoria de que TUDO OU TODO é assim ou assado.
Para, pensa, bom analisemos novamente e depois de algumas pensadas a mais, vejo que talvez, humm, é pode ser que algo ou alguém se salva.
Sou tão impaciente às vezes para ver que nem tudo se enquadra no mesmo patamar. Mas às vezes é difícil, muito difícil não achar que tudo está muito igual.
Isso é tão ruim. As coisas em certos momentos estão tão padronizadas que é difícil não antecipar comentário.


Sou notívaga, como já citei por aqui. Mas minha paciência (a dita paciência) já está bem mais reduzida para este setor. Antigamente, bem antigamente, tinha prazeres bem mais audaciosos em minhas saídas noturnas. Adorava me esbaldar na noite com meus amigos, beber, dançar sem pensar em hora pra parar. O tempo passa, ainda bem. Amadurecemos, envelhecemos e coisas já não são tão atraentes. Ainda gosto de fazer minhas saidinhas básicas, meus encontros com os amigos, chopinho aqui ou acolá. Mas aquela euforia noturna já está quase se extinguindo. Vejo tudo muito igual.
É inevitável o contato com outras pessoas que também estão ali no mesmo lugar, com o mesmo propósito ou um propósito mais além. Uns saem com o propósito de colocar a conversa em dia, proporcionar a reunião de todos num só ambiente e momento. Afinal com a vida tão atribulada e corrida, encaixar agendas nem sempre é tão fácil e prático.
Claro que não necessariamente é preciso que isso se faça em local público. Nem sempre é feito, mas quando é possível, é prático. Querendo ou não, une o útil ao agradável. Um local público vai propiciar que todos se divirtam e as pessoas se socializem.
Em contrapartida se não está a fim de agregar mais pessoas além dos amigos que estavam incluídos neste grupo, saiba que isso é bem improvável.
E às vezes em certas ocasiões ou momentos, tais situações se encaixam naquela condição de que, se está na noite saiba que poderá ser atropelada por pessoas, comentários ou atitudes as quais faz parte o contexto noturno.
Nem sempre será igual ou programado, como normalmente pensamos ou já estamos previamente sabidos, mas às vezes é difícil não generalizar.


Nunca tive a tendência de buscar, olhar ou interessar-me pelo homem mais bonito que ali estava. Aquele misto de timidez + baixa auto estima + falta de autoconfiança. A tendência de antecipar que aquele ser que se aproxima que aguça a mente e salta os olhos já vem com a predisposição de que homem bonito é burro (esqueça a questão de preconceito), já me antecipava. Ando tendo paciência para ouvir mais as pessoas. É isso que ando buscando ultimamente. Quero encontrar nas pessoas coisas que me instiguem a movimentar meus pensamentos. Que me façam acionar o botão do bom humor constante e que me faça rir, rir muito. E falar, mais do que já gosto, falar, falar muito. Gosto de me perder em conversas por tempos. Não importa o teor da discussão, o que importa é que seja algo que possa durar, ser interessante e proporcionar prazer daquele momento que estou ali. E quero acreditar que todas tem algo a me acrescentar. Talvez um homem bonito também tenha, porque não? mas às vezes é difícil não generalizar.



Encontrar alguém que nos faça ver que, é tão bom alguém para te aquecer, te abraçar e acariciar é uma delícia. Eu acredito que não somos seres para ficar sozinhos. Não sermos dependentes, mas agrupar. Isso ocorre com nossos amigos, nossos parentes e nossos amantes.
Eu creio que temos que ter alguém a quem possamos acariciar a face, beijar o rosto, abraçar o corpo e esquentar num dia frio. Abraçar e sentir que aquele corpo quente que ali está te aquece, te protege, te acaricia, te deseja. Não necessitamos que este corpo tenha que ser parte necessária em tua vida, deve ser parte agregadora. Sentir aquele olhar quando acordar, aquele sorriso ao contar, falar ou discutir algo bom, engraçado. Isso parece que está cada vez mais difícil, mais complicado, mais inacessível. Cada vez sinto que a prática está se tornando uma teoria difícil de ser decifrada.
E cada vez mais com códigos, atitudes e sentimentos indecifráveis. Uma coisa tão boa, tão simples e cada vez vejo que está tão complicada.
Vejo que relacionamentos estão se tornando difíceis, inconsistentes, inacessíveis, complicados. Não quero crer que a sensação de sentir um aconchego, uma carícia, um afago, um colo quente num dia frio, aquele abraço, já se perderam e as pessoas não querem ver.
Os relacionamentos perderam sua essência, quero crer que não, mas às vezes é difícil não generalizar.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Procura-se a paciência


A minha cachola ??? ah, os neurônios saltitam, nenhum dorme !
Então não me venha com blábláblá pois eles se comunicam vorazmente e entendem vários tipos de linguagem. Até a dos sinais ultimamente andam captando.
Olhar e gestos, nossa !
Velocidade da luz !


Impressionante como tem situações que acham que podem subestimar sua inteligência.
Sou como se diz por aí e também minha mãe diz, “esquentadinha”, “sem paciência”. Para certas coisas sou mesmo. Ao menos, graças aos santos, sou educada.
Descer do salto, ninguém vai ver, mas que no meu íntimo minha cabeça ferve e os dentes rangem, ohhh...
Então, para que ter situações onde parece que estão perante um plenário respondendo a um questionário formulado por uma comissão da CPI ?
Outra máxima usada nos velhos tempos da juventude notívaga lá “nos interior”: “explicação demais se dá para porteiro de boate”.
Quando tu quer sair pela tangente, seja prático, objetivo e não dê explicações demais. Possivelmente vai ser igual a cachorro mordendo o próprio rabo, vai enrolar-se e vai entregar o ouro para o bandido. Ou então estarei sonolenta antes da metade da explicação.
Já vi isso antes e morderam o rabo.


Canso de ouvir que sou pessoa que dá certo medo. Ah, não é para tanto.
Aprendi desde cedo a viver na briga do dia a dia. Tento ser prática e objetiva e o mais sincera possível. Isso não causa medo a ninguém. A meu ver é motivo de grande mérito. E consigo deixar pessoas amedrontadas tal qual criança com medo de papai Noel ou dentista.
Medo tenho de assaltante numa rua escura.
Eu não tenho capacidade de amedrontar nem criancinha. A não ser que estes amedrontados saíram do mundo da fantasia onde passarinhos cantarolam na tua janela e teu passatempo é saltitar por campos verdes de trigo.


Confesso que não é minha qualidade a paciência. Faço tratamento diário para que isso melhore, mas tem horas que ela se esgota em segundos.
E quando penso que estou doutrinando para mantê-la por período civilizadamente aceitável, tudo se desmorona como castelo de areia.
Vivemos num mundo tão agitado, tão corrido, tão estressante, que certas pessoas se perdem entre horários, agendas, compromissos e fazem do seu dia uma confusão física e mental e que acabam finalizando o dia num desgaste sem nada realmente concretizado.
Se não é capaz de conseguir atuar maciçamente num objetivo durante um período, prolongue-o para finaliza-lo. Não insira dentro deste período mais cinco objetivos. Nem o primeiro nem os restantes será concretizado.
Coisa básica.
Quem acha que conflitos diários são exclusivos de poucos, acredito que muitos estão enganados. Até admiro quem consegue tratar o dia a dia com calma e paciência. Eu normalmente tenho um gene do estresse bem intenso. Mas consigo distribuir tudo dentro do que planejo abraçar para aquele certo período.
Problemas, compromissos, agendas, desgastes, estresses, já é mais comum e rotineiro do que escovar os dentes.

Só temos que administrar para que eles não te consumam integralmente.
Não tenho paciência para discutir o que muitos acham que somente eles tem. Todos temos nossos problemas, conflitos, e compromissos.
Só sei colocar num dia de 24h , espaço, se possível, até para conseguir ouvir os passarinhos e correr nos verdes campos de trigo.


Só depende de uma coisa, QUERER !


Não sou a senhora perfeição e correta, mas não me trate como o senhor padre pois não sei ouvir confissão!

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

A química que há entre nós !


Retornando de momento turbulento. Ainda em fase de adaptação do processo "enfermeira" , sem tempo de adaptar-se a nada.


Cheguei com uma confusão de coisas a fazer, pendências de trabalho, ligações de clientes e amigos querendo saber se tinha tomado pó de pirlimpimpim !!!


E segue a vida !!!



Nesses dias de afastamento, em momentos pequenos de descanso, aproveitei pra ver um filminho.


Como ainda não tinha visto apesar da propaganda maciça, aproveitei e vi "A Proposta". Sim, eu gosto de comédia - melosa - romântica. Não curto muito as comédias puras, pois infelizmente nos dias de hoje, elas servem mais para me irritar do que para rir, tamanho o exagero da necessidade que tem para que ela seja extremamente engraçada. Me irrita, não aguento.


Então a inventada "comédia romântica" serve para o meu intuito. Sempre tem momentos engraçados na medida, para arrancar uma gargalhada em momentos espaçados mas com mérito e aquele momento meloso romântico que só um momento cinéfilo pode me proporcionar.


Pois veja bem, não que eu seja um iceberg que afundou o Titanic, não mesmo, mas meu olho, pelo jeito, não anda tão aberto para enxergar isso por aí. E como na realidade não encontro, adoro me deliciar no sofá para ver que na ficção tudo é tão fácil.


A moça, linda ou feia, gorda ou magra, executiva de sucesso ou simplesmente uma adolescente pré-vestibulanda consegue resolver sua vida, encontrar aquele mega lindo amado querido fofo bem sucedido agilizado esperto despachado homem dos seus sonhos.


Tudo tão fácil! Ah, a ficção !


Pois bem, vamos ver "A Proposta". Sandra Bullock está escandalosamente linda no auge dos seus 40 e poucos anos. Não sou uma grande fã dela. Até acho que filme de ação e suspense ela se encaixa melhor. Acho ela meio "rígida" para filmes românticos e comédias.


O par romântico, Ryan Reynolds, um gato. Mas tão, tão sem graça que não mereceu nem um suspiro.


E aí que me refiro a tal "química" !


Acho-a tão importante e presente na nossa vida.


Os meus amigos, até os mais próximos e presentes na minha vida passam por esta caracterização. Há os de sempre, cada um em sua característica, mas como já falado aqui, de suma importância. Dentre esses, há os que consistem esta química. Aquela sincronia de só de olhar, o tom da voz sacar como estou passando e agindo. Aquela coisa de agir da mesma maneira, pensar no mesmo tempo. Aquela sintonia de agir para tomar a frente em algo que preciso no momento exatamente anterior ao que vou tomar atitude para fazer. Ou seja, na mesma sintonia, uma química perfeita de atitudes e sentimentos.




No âmbito profissional, as coisas fluem com muitos com uma química intensa. Pois, não sei os outros, mas eu já tive experiências de profissionais do meu convívio que tive que respirar 1.456.987 vezes antes de falar algo para não explodir igual a uma bomba atômica.
Em outras situações e vivências, as coisas andavam como uma dança de Gene Kelly. Não necessita muito para que as coisas fossem quase um paraíso. Digo quase, porque não estamos 100%, 24h por dia. Absolutamente compreensível e respeitável.




Por fim, e eu acho bem importante e relevante, a química necessária entre um homem e uma mulher, relacionamento amoroso.
Mesmo que muitos digam ou pensem que nem tudo se resume a isso, concordo, nem tudo, quase tudo.
Afinal, ao meu ver, se não acontecer a liga, o risco de pólvora , a explosão, o restante não acontecerá.
A quimica entre um homem e uma mulher é algo que sempre dei muita relevância. Acredito que aquele olhar, aquele toque, aquele sentir, se ele não for inebriante, se não deixar o coração pulsando freneticamente, esqueço.
Isso não reduz a situação a SOMENTE isso. Não, o após é o após. Agora se eu não sentir nossos tubos de ensaio numa explosão química, mesmo que eu seja uma monja tibetana, serei água e óleo. E aí, não tem jeitinho que arrume isso.

Afinal um relacionamento é um aglomerado de situações que tem que se entrelaçar. O bom relacionamento, boa sintonia de idéias, pensamentos, atitudes, experiências, trabalho, dia a dia, companheiro e mais outras tantas coisas.


Mas se a química não está presente entre nós, ahhh, desculpe, podemos então ser bons amigos.




E aí, Sandra Bullock e Ryan Reynolds, poderiam trocar várias experiências amigáveis. Pois a química ali não convence nem uma senhorinha de 90 anos.


Foi como um barril de óleo num oceano. Visivelmente separados.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

A fortaleza permanece em pé

Estou em momento dedicação exclusiva filha- dona de casa - enfermeira.
Sempre achei, ainda acho e a grande maioria dos meus amigos também acham que sou uma rocha. Às vezes disfarço bem, outras sou mesmo.
Mas se engana quem pensa que a fortaleza não cambaleia.
Pois cheguei a minha cidade no final da semana passada para acompanhar de perto a cirurgia da minha mãe e posterior recuperação.
Não sei ainda se estou no rumo certo do meu ciclo de vida profissional. Gosto do que faço apesar de ter vontade de alçar alguns voos diferentes.
Mas área da saúde, enfermeira, médico, hospital, isso sei, nemmmm pensar !!!
Cheguei exausta depois de uma semana intensa, corrida.
Ultimamente, como já relatei, minhas atividades profissionais estão intensas. Fico muito feliz, claro, mas também, óbvio, acarreta cansaço físico e mental.
Também algumas novidades movimentaram minha vida.
Depois de tempos turbulentos de "dedo podre", olhinhos brilhando é açucar pra alma. Coisa boa quando a gente pode ficar ao menos, vagueando e "viajando" minutinhos ao dia com coisas que te deixam com sorriso abobalhado, parecido com uma boca esgaçada do Coringa.
Para uma pessoa prática, objetiva e cheia de posturas, às vezes penso que ficar matando segundos do dia com a cabeça ao vento pode ser quase um crime. Acho que cometi vários "minutos crime" nos últimos dias.
Isso me deu uma certa calmaria para chegar e encarar o vendaval.
Em primeiro lugar, adentrar em um corredor gelado de hospital, te arrepia até a alma. É um lugar que mesmo que encontre o Brad Pitt no corredor, poderá ser um lugar agradável.
Entrei num deles sexta a noitinha e sabia que tinha que ser forte. Momento fortaleza, ativar !!!
No sábado, já estava a procura do médico igual ao FBI atrás do maior criminoso da história para que liberasse minha mãe.
Quem mandou ele sinalizar isso mais cedo ??? E agora , doutor ???
Pois o simpático nos liberou e fomos para casa. Primeira etapa vencida.
As próximas serão de ajuda constante.
Minha mãe ficou muito debilitada em virtude de atrasos de conclusões médicas até o ponto final, a cirurgia.
Hoje ainda estou em momento enfermeira. Ela é uma guerreira. Nessas horas vejo que puxei muito a ela.
Nunca fomos família de novela - explico: não somos de ficar de meio em meio minuto nos falando o quanto nos amamos, de beijinhos e abraços e memememe.. Acho até que todo amor - que sim existe - é manifestado muito implícito mas tem consistência que não precisa ser notificado no jornal. Não soamos frios, mas a verdade é que esta fortaleza que sempre possuí deve-se boa parte a ela.
Temos uma postura parecida. A fortaleza que não rui, e abre suas portas sempre que alguém precisar adentrar e receber abrigo.
Estou notando o quanto ela se esforça para melhorar rapidamente. Eu enquanto posso estou do lado, dando a assistência necessária para que a reabilitação seja rápida e com sucesso.
Meu momento é totalmente indisponível para assuntos além da porta da casa da minha mãe.
E sabe o que mais me fortalece ?
A força que ela tem para recuperar-se, esta mesma força que me invade e me mantém forte e o carinho dos amigos - estes sempre de intensa importância e relevância na minha vida - que não se esquecem e estão dando-me um minuto de carinho.
Tudo está indo muito, muito bem.
Minha fortaleza não vai nem cambalear. A fortaleza mor, muito menos !

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Turbilhão

Sumida, sumida mesmo !
Sentindo falta de tudo por aqui. Para escrever e também para visitar meus amigos blogueiros.
Estou sentindo-me perdida e desatualizada.

Depois que retornei da praia do último feriadão (sim, voltei, sã e salva e não em estágio camarão, ufa!) foi uma correria que ainda não se encerrou.
Foi um acúmulo de trabalho, que me deixou bastante e ainda está me deixando bastante ocupada, cansada.

Sem contar que nas últimas semanas além da intensa movimentação profissional, problemas de saúde na família me deixaram bastante envolvida.
A sensação de fragilidade perante algo maior, que não está ao teu alcance e controle é assustador. Nessas horas o ser humano, que por muitos e muitas vezes, sente-se o detentor do mundo, posso notar que não tem poder para apagar um simplório palito de fósforo.
Nessas circunstâncias todas pensava volta e meia em vir aqui, escrever, escrever. Não dava, não conseguia, ou o momento não fluía nada.

Enfim, vou tentar retomar as coisas lentamente e me manifestar nos meus amigos blogueiros que tanta falta sinto de opinar, palpitar ou ao menos dizer que sinto saudades de todos.

Nos próximos dias estarei novamente ausente, minha mãe passará por uma pequena cirurgia. Não é algo seriamente preocupante, mas saber, no meu caso, que é minha mãe, um pouco frágil, já preocupa. Qualquer problema que cause fragilidade já me dá um pavor absurdo.
Nessas horas não sou a fortaleza que tento ser sempre.

Por isso daqui uns dias volto, mais intensa, para visitar todos vocês que por aqui passam sempre.
E olha, não tem idéia o quanto faz falta esse convívio com todos. Muitas saudades !!
Depois de todo esse turbilhão, espero que tudo volte ao normal e eu possa retomar tudo com mais calma.
É assim que a vida é, períodos de tempestades outros de calmaria.
Espero ao menos que ainda possa continuar olhando aquele sorriso que tanto gostei de olhar e de fazê-lo sorrir.

Até muito em breve !!!

Bjs

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Desligando .....



Esta semana teve de tudo.

Foi correria de trabalho, quando um aparece outros vem a reboque, não é mesmo? Pois fiquei bem faceira que estão surgindo vários e para quem trabalha de maneira que necessita correr atrás de seus clientes e trabalhos, sabe bem como é buscar sempre outro e mais outro.
Corri para todos os lados para atender as necessidades de todos e fecho a semana com quase tudo resolvido.
A correria cumpriu seu papel.
Também foi encontro com tia querida, daquelas que te olham, te dão um abraço e dizem "ah, quanto tempo, tá bonita, gorda, vistosa!". Ai, Jesus, nessas horas não se sabe se dá uma risadinha por a tadinha ser amável e aceitar que estar rechonchuda e "volumosa" é sinal de beleza, saúde e vigor, ou então se me atiro no chão e choro por não ter outra solução se não aceitar a balofice que me persegue... até minha tia ??!!! Bem feito, quem mandou matar uma semana de corridinhas diárias !!!
Mas como minha filosofia atual é não ter estresses por coisas banais, não será uma mera constatação de que não estou corpinho Gisele que vai me deixar em depressão. Há muito mais a preocupar-me do que certas neuroses não tão relevantes.

Pois bem, mais uma sexta chega, claro com mais correria, visto que é feriadão. Aí o povo se alvoroça. É todo mundo querendo fugir para algum canto. Eu, particularmente em vários deles, não fujo para lado algum, gosto mesmo é do meu canto.
Minha casa tranquila, com minhas coisas. E olha que tem várias coisas para fazer. Nesses feriadões, sempre arranjo. Fora o habitual de organizar a casa, ver meus filminhos, saidinhas básicas e serelepiar com meus amigos ou sejá lá quem for ou ficar em casa.
Enfim, não entro em paranóia porque um feriadão tá chegando e não vou sair que nem maluco retirante para algum lugar.

Mas neste, me voy. Vou descansar, dar uma folga pro corpo e pra mente e vou pegar uma praia.
Ah, o mar, que saudades! Já falei várias vezes por aqui, o mar.. ah, o mar !! Mesmo que nosso mar aqui do RS não seja grande coisa, não seja um mar calmo de águas límpidas constantemente, só olhar aquela imensidão, já dá um bem imenso.
Olhá-lo sem pressa, principalmente no cair da tarde, quando a tarde fica amarelada, sol caindo, a praia é uma delícia.
Vou aproveitar, curtir e me esbaldar, enfiando dedinhos na areia.
Próxima semana será de mais correria ainda, mas não me incomoda, bem ao contrário, tô feliz !!

Mas por hora, só me basta saber que minha única preocupação será me besuntar de protetor solar para não ser confundida com o prato predileto dos veranistas - o camarão !!


Besos !!!!
Hasta mañana !!!

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Graças ao meu eu ..


Graças a Deus !
Esta citação às vezes sai sem mesmo sentir. Aquelas coisas que viram hábito automático.
Graças a Deus to bem, graças a Deus to viva, graças a Deus melhorei daquela doença.
Graças a Deus to trabalhando, graças a Deus vou tirar férias, graças a Deus todos que amo estão bem, graças a Deus to saudável, graças a Deus to feliz, graças a Deus encontrei um cara legal, graças a Deus fim de semana chegando, graças a Deus ta começando a semana, graças a Deus tem trabalho a fazer, graças a Deus.

E por aí vai a extensão infinita de graças a ......
E aí penso até onde todas estas citações são profundamente citadas com relevância ao senhor poderoso que julgamos estar a nos proteger, iluminar e abençoar atos, atitudes e fatos.
Como já ressaltei sou católica não praticante. Nunca quis levantar questionamentos quanto a força, relevância ou não do poder emanado pela Igreja e suas doutrinas e santos. Isso é um fato que gera uma polêmica desgastante. Às vezes até desnecessária tamanha a impressão que pode causar em muitos adeptos ou não.
Nos últimos dias foram vários acontecimentos, bons, ruins, médios. E aí me pegava ou falando ou ouvindo a expressão mediante tal acontecimento.
Mas, e aí, graças a ...
Me perguntei se graças ao senhor todo poderoso que pessoas queridas do meu convívio que enfermas graves, não estão evoluindo, ao contrário estão cada vez pior. Ele também decide a hora do ponto final ?
Graças ao senhor todo poderoso, que outras que estavam em situação difícil estão melhores e saudáveis ?
Graças ao senhor todo poderoso que nos últimos tempos, sempre batalhando, lutando as coisas estão melhorando. Trabalho fluindo, oportunidades surgindo.
Graças a, que as coisas estão fluindo e dando vigor para seguir em frente com sucesso.
Graças a, que estou só, mas estou feliz. Estou contente comigo mesma.
Graças a, que estou só, mas não sei até que patamar gostaria de estar e se não seria justo tem um para chamar de meu.
Graças a, que nos últimos tempos aproveitei momentos valiosos com minha família observando que mínimos são o máximo vivendo com intensidade e prazer.
Graças a, que tudo que está girando ao meu redor está trazendo no momento atual exato, minutos, horas ou instantes de contentamento e alegria por minhas atitudes.
Tentaria ou ficaria por muito, muito tempo a divagar se graças ao senhor todo poderoso tenho força, coragem, garra, honestidade, fidelidade para conquistar meu espaço, meus prazeres, meus objetivos, minhas alegrias, meus convívios.
Não vou buscar respostas na consistência, confiabilidade ou relevância desta citação e do contexto histórico desta.
Não quero causar celeuma por talvez descrer totalmente ou não crer completamente.
Tenho para pensar que se hoje to conquistando mais coisas que ontem, devo exclusivamente dizer que é graças a MIM !

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Tão antigo e tão atual !


Nos últimos dias revi o filme “A Outra”. Acho que irei revê-lo mais um zilhão de vezes !!
Que filme maravilhoso. Eu amo filme épico e este é ótimo !
Com a rechonchuda Scarlett Johansson, a excelente Natalie Portman, como a Rainha Ana Bolena e o interessante Eric Bana como Henrique VIII, Rei da Inglaterra.
Adoro este tipo de filme, pela fotografia, pelo figurino, pela diversidade de coisas, atitudes e falas.
Fico a imaginar, num momento atual de tecnologia galopante, como viver num tempo de vestidos longos, enormes e rodados, espartilhos para lá de esmagadores, sem energia elétrica, chuveiro quente, celular, tv, dvd, e por aí vai !!!
É uma coisa maravilhosa ver as mudanças ao longo dos tempos.
Como esse filme se passa no século 16, as aventuras e festividades se resumiam a caçadas, jantares grandiosos, regados a muita comida e vinho, bailes.
Um rei autoritário e “guloso” que insatisfeito com a esposa, por não poder dar-lhe mais seu filho homem tão desejado e que com a ajuda de seu assessor propõe a sua sobrinha a entreter o Rei da recente decepção.
Aí desencadeia uma teia de intrigas capaz de destruir um reino.
Um filme apaixonante.
O que não dá para deixar passar é que séculos depois tantas coisas mudaram, mas outras nem tanto.
Luxúria, poder, traição, status. Coisas velhas que não acabam !
E naquela época foi capaz de destruir um rei, quebrar sua aliança com a Igreja e matar quem os traiu.
Hoje decapitar já não cabe mais, mas outras situações se mantêm na mesma qualidade.
Jogos de poder, situações de casamentos arranjados.
Creio que há muitos tios por aí, observando um terreno farto para sua sobrinha ter uma vida confortável a sombra para seus dias restantes.
A Igreja Católica naquela época tinha poder incontestável, tomava decisões importantes junto a um país. Hoje ela não está tão poderosa. Ao menos, não enxergo a olhos nus. Não a acompanho nem dou muita relevância. Mas, nas salas fechadas, ainda imagino que ela tome certas decisões, mesmo que estas não estejam, talvez, tão evoluídas. Apenas continuam tão endinheiradas quanto na época da Corte.
Desejos, dinheiro, traição, sexo.
Irmãs desejando um homem. Uma pelo amor, pelo desejo, pela paixão que a sucumbiu. Outra, pelo poder, pelo dinheiro, pela coroa de Rainha. E a conseguiu.
Ainda vejo que estas coisas estão mais atuais e latentes do que nunca. Brigar por seu homem tanto por paixão, desejo e outras brigarem por uma conta bancária gorda, seu carro último tipo e viagens regulares pela Europa.
Jogos de interesse entre famílias endinheiradas, aliando dinheiro, negócios, casamentos.
Ainda vejo que mesmo tão modernos, tão tecnológicos, tão evoluídos, tão longe do século 16, em contrapartida em outros comportamentos estamos bem perto dele.
Sexo, poder, dinheiro, traição. Tão antigos e tão em voga.
Sem esquecer que, pode ter uma “a outra” por aí, querendo saber seu número de celular querendo reivindicar seus “direitos” !!
Ao menos não tenho uma guilhotina !

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Uma pitada de carinho !!

Andei meio distante, mas não vou sumir, não !
Mas às vezes é porque a gente não tá a fim simplesmente de teclar aqui. Tem dias que tenho um dia cheio e uma hora quero distância de um teclado e um monitor.
Outros dias preservo o bom gosto e alto intelecto de todas minhas visitas blogueiras, pois minha inspiração está pior que a situação do Rio Tietê !
Uma coisa é a vontade de sempre querer escrever, mas outra é ter inspiração para falar de um assunto bacana e interessante.
Mas mesmo sem estar inspirada, ando por aqui, visitando meus bloguinhos e buscando os presentinhos !!!
Que povo legal!



Antes de citar os presentinhos, deixa abrir um parêntese:
Desde que iniciei este blog não imaginava o quão seria interessante escrever nele e ouvir os comentários das pessoas que por aqui passam. E os elogios que vem. Afinal, acho eu, se não agradasse não seriam necessários os elogios. Não é regra básica para entrar na página. Todos fazem porque é sentimento real. E isso é o mais gratificante. Acredito que esse convívio com todas essas pessoas se tornou valioso. O amigo ainda não foi conhecido pessoalmente, mas é reconhecido, respeitado e querido como tal.

Aos presentinhos, as pitadas de carinho:


Recebi este das Las Miserentas . Nem vou ser repetitiva em falar dessas gurias.

Devo citar 15 blogs e dizer porque me conquistaram:

1 - Antes de mais nada, vou citar a dona do presente. O blog é bonito, sensual, forte. Transborda sinceridade, essência, profundidade. É alegre, divertido, honesto, sério, profundo, triste. Todas as sensações, emoções necessárias para se viver.

2- Desassossegada. Provavelmente ja´foi presenteada. Mas ressaltá-la é obrigatório! Às vezes lendo seus post's, penso: nossa, essa guria parece muito comigo! Só não tenho tão bom humor quanto ela. Mas ela é forte, brava, guerreira, briguenta, bondosa. Aí me identifico !

3- . Se um dia tu acordares triste, chateado, de imediato vá ao blog desta guria. Pode não melhorar por inteiro, mas tenho certeza que irás dar uma boa gargalhada. Isso é uma benção! E quase sempre acontece isso quando apareço lá .

4- Um pouco de mim. E o pouco de si que ela diz, é de uma clareza, consistência e agradabilidade que tem que voltar sempre !

5-Sra. Google. Sempre inteligente, conciso, forte, vibrante! A guria tá atarefadíssima, mas por uma boa causa. O saber nunca é demais!

6-Desabafando. Este blog é uma delícia! Sempre um desabafo, mas com alegria, doçura e sinceridade ímpares.
7-Una mujer habitada. Muito culto, inteligente, bem escrito. Quer saber de culturas diversas, dá uma passada lá.




Este outro tinha que vir da engraçadíssima Doutora Desa , Desassossegada. Duvido que tu não vá dar boas risadas por lá !

Quem não teve um momento "Rê Bordosa" até hoje ?? Xiiii, nem vou comentar, ou melhor, quem sabe, num post futuro !!!

Fique à vontade para pegar, pois eu achei ele bacanérrimo !!!




Este outro também veio da Desa.

Aqui devo citar 8 características minhas:
Hummmmmmmmm.............
1- honesta
2-amiga
3- sincera
4-brava
5-chata
6-fiel
7-impaciente
8-guerreira.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Selinhos e confissões



Ganhei este selinho das Las Miserentas . Essas gurias são show.
E como tem regras a cumprir, nesse caso :
Bah, que coisa cruel, mas .. vamos lá..

Se minha vida fosse um livro seria ....

A Megera Domada.

Adoro Shakespeare .. Eu sou meio “shakesperiana” ..
Às vezes ácida, às vezes amável, às vezes quieta, às vezes intensa, outras vezes alegre, outras vezes nem tanto, às vezes fogosa, outras vezes mais calma.
Um turbilhão de sentimentos e vontades, misto de riso e choro, alto e baixo, gordo e magro.
Já tive meus tempos de rebeldia. Não tinha paciência para quase nada, muito menos papas na língua. Não tolerava comentários que não me agradassem ou então comentários desagradáveis alheios. Nunca fui de rompantes, mas achava que ajudar o outro podia demandar qualquer esforço. Ainda acho.
Tinha sempre uma acidez na ponta da língua e estar pronta para comentários ácidos seria uma oportunidade para mostrar que não toleraria ser bondosa demais com quem não merecesse.
As vezes em tom alto e intenso, mostrava-se mais raivosa ou rebelde que o necessário e tolerável. Não tinha fácil aceitação para ser condescendente com o comum, habitual.
Meu pai nunca procurou um marido, mas as tias achavam que já estava na hora.
Não encontrei meu Petruchio, mas estou mais domada.
Domei-me ou estou me domando. Aprendendo a ser menos ácida, língua mais doce, mais tolerante. Cada vez mais cheia de vida, com humor mais dócil.
Mais domada.



Repasso este para :








Rosa Vermelha




E todos os que quiserem fazer de sua vida um livro !!!





Este outro recebi da Elaine.

Este blog é um barato e é um celeiro de novos blogs mega interessantes. Mil palmas a ela !!

Dez coisas que eu amo:

Dentre outras:

1- estar com meus amigos;
2- viajar;
3- praia;
4-verão;
5-escrever;
6-vinho tinto;
7-cerveja;
8-salto alto;
9-filmes;
10-beijo na boca.


Mando este :









Na verdade gostaria que todos que aparecessem por este humilde bloguinho "roubasse" os selinhos e fizessem o mesmo !!! Um pouco de si para todos !



quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Multi


Tá sei, ando sumidíssima daqui. Quer dizer, isenta de post, mas sempre com minhas visitinhas básicas aos meus blogs queridos/favoritos. E novos que vivo “caçando” por aqui. Mas esta semana tá sendo meio punk.
Não estou me queixando não, pois detesto paradeira. Stress é comigo mesmo! É, pode ser coisa de pirado, mas eu não gosto de paradeira.
Quando as coisas estão meio paradas, me incomoda e me preocupa. A correria me dá gás. Mas aí claro tenho que arranjar tempo pra tudo.
Ainda to trabalhando, finalizando um laudo, ouvindo pela internet o jogo, Internacional acaba de fazer mais um gol – feitoooooooooooooooo !!! – 23.45h da noite !!
Mas assim é que as coisas andam comigo e prezo que continuem.


Nas minhas andanças blogueiras esta semana, vi algumas das minhas amigas daqui também no maior gás.
Sra. Google se despediu do Double J e estava serelepe num post mega engraçado querendo estapear o mauricinho barbeiro.

Desa, a mil com sua chapinha ultra para evento e as voltas com sapato novo para esquentar pés gelados.

Rê, Letras Saltitando, sempre mega engraçada ressaltando suas mil aventuras e dentro destas ressaltou em um post quanto a questões que vivemos no dia a dia e que pode nos afetar, são as situações psicossomáticas.

Acho que tu emana isso. Quando uma coisa não ta legal, outra vem atrás e se tu não te dá conta, ta assimilando só energia ruim e coisas ruins a tua volta.
Não vou chegar ao ponto que ela também ressalta da auto ajuda, coisa que nem gosto de tratar e porque sou leiga no assunto.
O que acredito é que se tu penderes para um lado de que tudo vai para o lado do descrédito, do insucesso pode saber que as coisas parecem que só dão ré.
Eu nem quero pensar em dar ré. Fiz isso tempos atrás e agora to varrendo o resquício desse período e tô praticamente só andando em quinta marcha. Não quero nem pensar em lembrar, não levanto motivos para isso, não vou atrás para saber de nada e nem quero saber. Da última vez que fiz isso, só pude gargalhar e citar uma expressão que muito se fala por aqui, aliás, duas:
“vou morrer e não vou ver tudo” e “me caiu os butiá do bolso” (esta para quem é aqui do Sul sabe o que significa – explicações quem sabe noutro post).

Quero que este período, isso serve para o profissional, sentimental, pessoal, financeiro vá para bem longe. Nem quero mais relatar, não vale a pena gastar meu latim nem dispensar minutos preciosos do meu cérebro revirando momentos.
To cansada fisicamente mas nada melhor que satisfação de algo que tu está querendo ou projetando começar a engrenar.
Isso inclui correria, trabalho até tarde, estresses com clientes que tem que ter um mega ultra jogo de cintura e paciência para tratá-los e também ciência de que tudo tem sua hora certa.
As horas estão começando a se ajustar, relógio entrando no seu eixo, as coisas andando no seu ritmo e no seu caminho.
E ainda por cima recebi um mega elogio pelo meu blog de uma pessoa muito, muito querida de longa, longa data. Saltitei de faceira.

Nuvens se dissipando!

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Estique o SEU braço !



Tempos atrás uma amiga, que já não mora mais aqui no Estado, comentou como estava indo a campanha lançada pelo município para os veículos pararem na faixa de segurança para passagem de pedestres.
Que campanha ? que faixa ? que braço ?
Dei risadas e disse, espere deitada para que isso dê certo!
E não estou sendo irracional, intransigente. Apenas uma constatação de que as coisas inventadas sem uma consistência só pode ser fadada ao fracasso ou sucesso a velocidade de uma tartaruga.

Aqui a Lei Seca que deveria SIM mobilizar os motoristas, anda de arrasto.
E esta tinha que dar muito certo.
E porque esta e a do “estica braço” não dão ?
Porque as pessoas não tem educação para o trânsito. Ou melhor, retificando, nem todas as pessoas tem.
A Lei Seca para muitos é motivo de gargalhada. Eu mesma conheço muitos por aí que enchem os tubos de cerveja e saem dirigindo achando que nada os acontece. São “protegidos”.
A eles não me interessa. Interessa se eles vão proteger os outros.
Eu mesma já dirigi bêbada, na minha juventude rebelde, transviada e confesso o absurdo que estava fazendo comigo e com os outros. Afinal no trânsito, é um todo. Temos que nos preocuparmos em dirigir com cuidado para não nos ferirmos e não ferir o outro. Bêbado tu não tem este cuidado.
Hoje morro de medo de andar com quem bebe além da conta. Sei muito bem que teus instintos caem para menos da metade. Eu saio e bebo, não tenho carro e ando de táxi, faceira!
Numa cidade grande, ruas lotadas de carro, onde antes mesmo do sinal verde abrir, já tem pessoas com a mão insistente na buzina, este mesmo pararia na faixa para o pedestre atravessar a rua ? O pedestre que se dane!
Este é um motorista mal educado.

Lendo o jornal local hoje, vi isso. Um motorista que estava sendo educado, parou na faixa para a senhora e sua filhinha atravessarem, quando um motorista apressadinho não conseguiu frear a tempo, bateu na traseira do motorista que estava parado, consequentemente alavancou o carro para cima dos pedestres, atropelando-os.

Punição para os que são pegos bêbados? Multas, pontos em carteira. E ainda quando são pegos, visto a precariedade de subsídios para atender os propósitos da Lei.
A campanha do “estica braço” não sei ao certo se existe punição. Mas precisa ?
Precisa é um pouco mais de respeito, tolerância. Se numa cidade grande, trânsito caótico, faixas não servem para nada, usem e abusem das sinaleiras, obrigando assim os motoristas a pararem.
É, obrigando.
Pois é a mesma coisa que castigo para criança que não obedece a professora. Eduque-o para que preste atenção ao que ela está te ensinando e não precisará de castigo.
Os motoristas estão precisando de uma boa dose de educação.

Meu rico bracinho não estico para esses mal educados, dependendo da tolerância do apressadinho, poderão levá-lo junto.
Foi o que quase aconteceu da última vez que tentei aderir a campanha ! Humpf !!!

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Proposta decente ou a indecente?

Sempre achei muito engraçada essa questão de “proposta indecente”!


Parece comentário de pudicas de décadas atrás, em comentários de crocheteiras numa roda de café da tarde.
Sou desprovida desses conceitos de que isso ou aquilo não pode porque é fora dos padrões do correto e perfeito da sociedade.
Cada um sabe de si ou de seus padrões de correto, sem que isso não fira terceiros.
E é aquela situação de proposta indecente como no filme dos anos 90 com a Demi Moore e Robert Redford.


Ultimamente não ando pensando em outra coisa a não ser trabalho, trabalho, trabalho.
Conseqüência lógica, dinheiro, dinheiro, dinheiro. Ao menos é esse o propósito.
E não estou incompleta não. Há fases na vida que coisas devem ser prioritárias, claro que outras situações e necessidades do teu cotidiano não devem ser esquecidas, mas talvez deixadas de lado.
Pois nessa batalha diária de trabalho, recebi duas propostas de trabalho, super, mega decentes.


Uma delas veio de uma pessoa que adoro, admiro, e desejo todo o sucesso do mundo. Ainda tudo é muito novo, caso se concretize, e quando, relatarei por aqui. Por enquanto é um projeto, que está sendo estruturado e que estou inserida. E confesso que deu um baita medo.
Isso é uma coisa que me acontece sempre. O novo sempre me instiga, me deixa curiosa mas junto com ele vem o medo. Medo de não ser capaz o suficiente, medo de não ser boa a altura, medo de não dar conta. Já dizia minha antiga psicóloga “pitbitoca” – “o medo é a alavanca para todas suas ações”. Sem ele não temos impulso para buscar e provar novas aventuras, projetos, atitudes, trabalhos. Ele está junto a mim, mas está sendo trabalhado, para que eu o vença e possa resolver se o caminho proposto é uma oportunidade irrecusável.


A outra proposta veio de uma grande amiga, fiquei super empolgada pois esta sai totalmente do meu ambiente profissional atual. Cai numa área que adoro, gastronomia, mas não sou expert no assunto. Confesso que fiquei absurdamente empolgada e encantada com a idéia. Totalmente diferente da primeira, mas que também está engatinhando, sendo construída e que também terá uma análise, com devida importância.
Propostas a serem estudadas com muito afinco.


Mas já a proposta “indecente” que senhoras crocheteiras teriam urticárias e rosto enrubecido, não necessita projeto, não necessita nenhum estudo, nem análise. Só necessita de minha aceitação.
E aí que me senti uma senhora crocheteira dos anos 60, enrubecida com tamanha naturalidade a qual me foi proposta.
Demi Moore relutou, relutou e considerando que tudo que estava fazendo era por uma “boa causa” topou.
Aqui, a princípio, não há medo. Não há riscos de perdas financeiras ou profissionais, acho eu.
Ao contrário, a proposta seria exatamente para proporcionar tudo isso.
Ah, aquela viagem tão sonhada a Nova York. Hummm, o desejo enorme de ir as pirâmides do Egito. E passear despretensiosamente, momento perua, não pensando como pagar aquelas compras no shopping. Ou um fim de semana glamouroso ou aquele sol a beira da praia de Ipanema.
Tudo fácil, prático.
Nem tão fácil, muito menos prático.


A resposta não conseguia ser processada no cérebro, por instantes fiquei congelada no tempo, como se não tivesse ou soubesse resposta para tamanha “proposta”.
Demi Moore relutou e sucumbiu a proposta indecente.
Ela estava na ficção, nada seria tão doloroso.

Como na vida real as coisas não são tão lindas assim, somente pude pensar que ainda bem que existe duas propostas decentes a estudar. Pois visto minha postura, não necessito dar atenção a esta.

Cada um tem a sua, cada um tem seu modo de ver as coisas e como as viver.

Preferi pensar como uma crocheteira, virar as costas e pensar como pode me propor algo tão “indecente”?

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

A Laranja



Este texto li há muito tempo atrás e gostei tanto. Achei tão propício hoje.



Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não contaram pra nós que amor não é acionado, nem chega com hora marcada.

Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável.

Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada "dois em um": duas pessoas pensando igual, agindo igual, que era isso que funcionava. Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável. Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório e que desejos fora de hora devem ser reprimidos.

Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto. Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto.

Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade. Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas, são alienantes, e que podemos tentar outras alternativas. Ah, também não contaram que ninguém vai contar isso tudo pra gente. Cada um vai ter que descobrir sozinho.

E aí, quando você estiver muito apaixonado por você mesmo, vai poder ser muito feliz e se apaixonar por alguém.
John Lennon


terça-feira, 22 de setembro de 2009

Apontar para a casa certa


Nas minhas andanças pelos meus amigos blogueiros que cada dia mais admiro e sigo, tenho notado em alguns, situações parecidas.
Decepções, tristezas, descontentamentos, frustrações. Na maioria, por questões amorosas.
E entendo perfeitamente, já passei por muitas.
E não é pelo caso de ter sido a mega namoradeira do planeta, ao contrário.
É pelo fato de meu dedinho do ET, ao invés de apontar “minha caaasa”, apontar ‘prum’ dito cujo “ele é pooodre”. E lá vai a “senhora ET” para mais uma roubada.
Nos poucos meses que fiz terapia (larguei, mas voltarei qualquer hora), a bruxa da terapeuta (no início saía do consultório pronta para fazer vudu dela) dizia que isso está devidamente direcionado ao seu subconsciente.
Ora bolas, para uma cabeça dura e descrente de terapeutas, dizer um negócio desses é a maior baboseira ou que ela é a besta.
Mas ela não é. Estudou, se especializou para estar ali, se comprometendo ao me dizer e direcionar meu pensamento para isso.
E com o tempo as coisas vão criando nexo, vão se direcionando para um entendimento correto. Não tenho ainda hoje o entendimento perfeito e por isso o meu dedo ainda anda apontando para a “casa” errada.
Mas depois de tantas situações e frustrações, freei meu subconsciente. Fechei meus olhos, segurei meus ímpetos e meu coração.
E sinceramente detesto isso.
Não sou assim.
Dia desses me taxaram , “tu é prática e objetiva”. Olha, se for fazer um apanhado geral, sou mesmo.
Sou das exatas, para mim, um mais um É dois. E nada mais. E em muitas coisas faço as contas na ponta do lápis mesmo.
Mas não sou fria, não sou dura.
Ao contrário, sou sensível, me debruço em emoções e por isso que digo que detesto frear meus ímpetos.
Sou pulsante, sou da energia, do calor.
E acho que assim que devemos ser.
Não dá para deixar que situações que as vezes não saíram conforme tu querias, conforme desejavas, que está fadada ao fracasso.
Aliás, sucesso sempre, desconheço. Até os mais poderosos e detentores de grande sucesso tiveram seus percalços. Por que eu não os teria ?
Acho que terei mais alguns ou vários, não sei.
A praticidade que me conceituaram sempre existirá, mas para áreas que ela é necessária. Para outras estou tentando retomar meu vigor e calor e soltar meus ímpetos.
Não os quero presos.

A única coisa que possivelmente tenho que aprender é apontar meu dedo para a “casa” certa.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Tô curtindo ..

Vi dias atrás o filme "Crepúsculo" . Tive uma enorme resistência para vê-lo, mas como tava ali dando "sopa" e louca pra devorar um filminho, vem tu mesmo !
Não é uma obra prima, apesar do sucesso estrondoso, ao meu ver. É um romancezinho adolescente. Vampiros e lobisomens, essas coisas bem hollywoodianas. Vampirinhos muito gostosos, diga-se de passagem.
Mas enfim, olhei e até que gostei (o tal preconceito que falei dias atrás). Olhe para depois tecer algum comentário. As vezes tenho esse grave defeito, de tecer um opinião sobre sem antes ver ou ouvir certos filmes ou coisas desse tipo.
Então, agora já to esperando a sequência chegar para olhar. O já tão falado "Lua Nova". Mais vampirinhos, lobisomens, pescocinhos !!!
E como já muito costumeiro, sempre me agrado de alguma coisa da trilha sonora dos filmes.
Neste, eu curti muito o som de uma banda britânica chamada "Muse" e a música "Supermassive Black Hole". Bem no estilo que gosto, rock, muita bateria, guitarra e o cara com uma voz aguda e alta.
Ando curtindo pra caramba. Já conhecia outra que toca na rádio direto, que se chama "Uprising". Imagine escutando a todo volume, sentada a frente do computador, dançando.
Sou eu escutando-a!!
No próximo filme terá outra deles na trilha sonora, "Hiper Music". Começa com uma guitarra .....
E além desta terá também uma do U2, "Stuck In A Moment You Can't Get Out Of", uma delícia !
Me rendi aos vampirinhos ! Desses eu gosto !


terça-feira, 15 de setembro de 2009

Cartão Vermelho !!


Mais um presentinho de uma amiga blogueira, agora da sempre engraçadíssima Letras Saltitando by . (em homenagem a própria que gosta de tudo coloridinho !!!)



Vamos as regras: "Cada um deve fazer uma listinha com 10 escolhidos para dar o cartão vermelho. Pode ser uma pessoa, uma atitude, enfim, tudo aquilo que, de alguma forma, nos incomoda - se quiser e precisar, dê uma justificativa breve. Após fazer isso, passe a bola para mais cinco blogueiros e vamos ver no que dá…”


Então ...


1-Mentira;


2- Traição;


3-Falta de postura ética;


4- Falta de ajuda ao próximo, amizade sincera;


5- Ao palhaço que gritou "gordinhaaaaa" na minha corrida diária;


6-Aos meus quilos extras que não querem me deixar;


7-A ansiedade;


8-Pessoas medíocres;


9-Políticos podres ladrões que roubam nosso dinheirinho suado;


10-Homem babaca que subestima minha inteligência.


Claro que teria mais uns cartões vermelhos, mas aí discorreria muito tempo, todos ficariam entediados de ler e eu pareceria um juiz em jogo Gre-nal no final do Campeonato !!!!!

Para que eu não seja injusta eu presenteio todos que por aqui passarem e meus amigos blogueiros que queiram responder. Ficarei muito feliz, pois depois irei dar uma fuçadinha básica por todos pra ver quem não teve preguiça de colocar respostinhas.


bjs

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Você voltou !!!

Que bom que você voltou !
Não tinha ciência do tamanho que a tua ausência me causava !
A cada noite deitava meu corpo sonhando com você, com a sua volta !
A cada noite pedia que você voltasse logo para o meu convívio.
Sempre gostei de você e nesse período ausente, senti que você é mais importante do que pensava.
Sua falta mudou meu dia a dia.
Já não tinha mais o mesmo vigor. A vontade de fazer tudo com o mesmo animo, alegria, agilidade, rapidez.
Todas as manhãs ao abrir os olhos queria que você estivesse junto a mim, para mais um dia de trabalho, de atividades.
Mas eu não te encontrava.
E eu não sabia como fazer para pedir, chamar você para perto de mim novamente.
Achava que não o encontraria mais ou então tão cedo.
Isso só me trazia uma tristeza, que no meu íntimo me calava. Não adiantava dizer a alguém o quão desconfortante era não ter você a minha volta.
E só ia aumentando minha insatisfação pela tua ausência ao longo dos dias.
Então hoje acordei bem, bem mais animada .
Pois ao abrir os olhos, senti que você estava voltando para mim. Voltando para o meu convívio diário.
Meu corpo já mais ágil, mais animado, pronto para mais um dia de atividades, sabendo que tu, agora, está perto de mim.
E agora espero que tu não vá embora novamente.
Espero que fique junto a mim, quando todos os dias ao abrir os olhos possa vê-lo e deixar meu dia mais feliz !
Enfim, você voltou para mim, meu querido SOL !!!!!!!!

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Sem descer do salto !

Tem coisas que não consigo gostar e/ou suportar.
Dia chuvoso, frio , inverno, arrogância, dissimulação, tratar-me como tola.

Pois meu lado bonzinho tirou umas horas de férias e resolvi mostrar as garras.
Tem momentos no teu dia a dia que é prudente agir com diplomacia
para que as situações não tomem um rumo desgovernado, não desmoronem ou não declinem. Isso serve para situações profissionais e pessoais.
Pois chega uma hora que tem que dar um basta.
E então resolvi mostrar as garras.

Imaginei-me como o Wolverine ao sair da câmara de água impondo suas garras de aço.
Tá, tá bom, tive mais uma sessão de Hugh Jackmann no final de semana e vi o ultimo filme dele, afinal de contas tenho que manter a audiência galopante do moço !

Só que minhas garras não fizeram um arranhão sequer, no sentido literal,
mas consegui com esta postura assim como ele, atingir o objetivo.
E tudo isso na maior elegância, dignidade, certeza e sem nem ousar descer do salto.
Apenas cabe as pessoas saberem que não dá para tentar tirar vantagens, dar uma de espertinho a todo momento. Será que não dá para ser profissional e agir assim com outros profissionais ? Será que não dá para ter uma atitude digna de que as coisas podem se resolver tendo postura correta , ética ?
Que aquele jeitinho brasileiro de se conseguir ou ajustar as coisas serve mais para bordão do que resolução de questões práticas ?
Mesmo que a paciência e a diplomacia devam imperar, chega uma hora que se deve dar um basta, para que isso não se torne um circulo vicioso, uma novela infindável.
E aí, ahá, bingo !!!!



Nada melhor que impor sua postura correta, mostrar sua verdade para que vejam que as coisas devem ter sempre um rumo certo a seguir, sem rodeios.


Não seja tolo ao achar que pode ludibriar sempre. Pode encontrar-me em momento tola, mas não conte que ele dure por muito tempo.
Satisfação plena, sorriso no rosto e pode vir quente que estou fervendo !!!!


Objetivo alcançado, Wolverine encolhe suas garras e vai descansar , satisfeito !


De momento resta somente saber porque aquela azeitona da empadinha está me causando tanta dor de cabeça !!

Olha que coisa mais bonitinha esse novo selinho que ganhei das gurias do



A responder , cinco coisas que gosto : (ai , que difícil, mas.. )


1. Sair com amigos pra beber e conversar;


2. Ver muitos filmes ;


3. Esticar as pernas, enterrar dedinhos na areia e ficar de papo pro ar numa praia linda ;


4. Me aventurar em comidinhas para meus amiguinhos degustarem;


5. Carinho, atenção, beijo, abraço apertado, chamego e um vinho tinto !



Presenteio os meus amigos blogueiros :















bjs.




Blogagem coletiva


O Blog um pouco de mim está completando um ano e a dona dele propôs uma blogagem coletiva, para que os blogueiros troquem informações, idéias com outros e então muitos blogueiros se conheçam.



Bacana a idéia, dá uma olhada aqui .. Um pouco de mim.

Bem legal !

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Possibilitando um up grade !


Várias atividades apesar de um feriadão na capital ! Pra variar em poucas horas temos todas as estações do ano. Um verão no início dele e no fim, a chuva chega e trás novamente o frio. Ainda bem que os dias gélidos do inverno já se foram. Dou tchau sem a mínima saudade.
E já que resolvi não pegar a estrada para lado algum, pude resolver várias coisas. Ficar em casa, não ficar, sair pra beber, ver amigos, ler, ver filme, ficar em casa aconchegada, correr ...
Enfim, atividades para mexer o corpo e a mente, que ando precisando ultimamente.

Sempre que coisas me incomodam, tenho que dar um jeito de resolvê-las. Não suporto coisas mal resolvidas.
Nem todas estão ao meu alcance. Tento o máximo para que isso seja resolvido, quando estão além das minhas mãos e sem retorno, só tenho a lastimar e seguir em frente. Mesmo que isso possa por um tempo ficar latejando em minha mente.
Das que pude resolver, bati o martelo. Isso inclui resoluções de trabalho e particulares.

Ando, para algumas situações, em momento insatisfação. E não há como sair delas. O que posso no momento é deixar na prateleira, com um bilhetinho de "Pendente temporariamente", até segunda ordem.
E tantos momentos são assim. Estou aprendendo a resolver, a dizer não se necessário e me impor. É um longo exercício.


Lendo uma reportagem da Isto É desta semana, vi mais ainda que esta pauta tem que ficar latente por muito tempo. Relata sobre "Enxergue seu valor e construa a autoestima".
Já disse que esta não é das mais altas e visto isso deixo passar várias coisas que no momento não deveriam dar um segundo passo. Deram, não fiz nenhum sinal de impedimento e mais uma dessas que se vão..
Outras não permito o segundo passo, visto que crio uma resistência para que eu não seja suficientemente capaz para estas.
Mas estou em processo de que as coisas não podem ser somente como o curso que a maioria das pessoas ou o central da sociedade acha que deve ser.

Eu tenho que dar o curso para as coisas que acho que deve ser e como eu sentir que isso fará bem a mim.
Dizer não é a prioritária.
Dizer sim é a segunda, mesmo com minha cabeça dura, devo dar umas duas piscadas a mais, respirar e sim, sim, sim !!!
A questão de que achar que não podemos incutir coisas na vida por não achar-se capaz é o destino do insucesso ou a frustração futura.
Jogo-me em todas as possibilidades, não desisto de tentar, mesmo que a tentativa seja depois designada por mim mesma como não sendo para meu usufruto.

Encontrei-me com amigos muito queridos e olhei para outra alternativa, outras possibilidades. Minha mente flui quando quando sou instigada a alcançar ou tentar outros objetivos ou projetos.
A disposição para que esses sejam construídos e frutíferos é imensa. E novos projetos foram colocados a prova para mim.

Novas possibilidades se acendem, foram apresentadas e estas estou respirando muito e não vou nem cogitar outra coisa, que não seja o sim !

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Mais doce que mel...



Meu gosto musical é bem eclético, gosto um pouco de tudo.

Mas não sou muito fã de MPB. Há muita coisa que não gosto. Até já fui questionada ou então, ao menos, discutida por essa não predileção. Muita coisa que tá por aí, até por muitos, considerada como ótimo, novo "boom", sucesso, novos olhos da mídia e por aí vaí, não me agradam.
Já falei que sou mais roqueira. Sempre fui e sempre serei. Entre uma voz suave (pouquíssimas me agradam), prefiro uma voz rouca, grave e muuuuito barulho.
É uma maravilha vez ou outra, começar os trabalhos pela manhã, ligando o computador, e colocar Janis Joplin berrando "Cry Baby" ou "Mercedes Benz".

Enfim, "góstos" são "góstos" !!!


Mas hoje tava escutando rádio durante o dia, e aí tu encontra muita coisa que nem sempre agrada. Alguns cantores e cantoras brasileiras que me não são minhas preferências, mas vou escutando.
E aí escutei, Nando Reis e Ana Canãs - "Pra você guardei o amor". Acho que não conheço nada da música da Ana, mas esta música achei tão doce , tão leve, que curti ouvir.
Fui atrás e baixei a música e sente só que linda a letra dela:


"Pra você guardei o amor
Que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar
Sentir sem conseguir provar
Sem entregar
E repartir
Pra você guardei o amor
Que sempre quis mostrar
O amor que vive em mim vem visitar
Sorrir, vem colorir solar
Vem esquentar E permitir
Quem acolher o que ele tem e traz
Quem entender o que ele diz
No giz do gesto o jeito pronto
Do piscar dos cílios
Que o convite do silêncio
Exibe em cada olhar
Guardei Sem ter porque
Nem por razão
Ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar
Achei Vendo em você
E explicação Nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder
No fogo o gelo vai queimar
Pra você guardei o amor
Que aprendi vendo meus pais
O amor que tive e recebi
E hoje posso dar livre e feliz
Céu cheiro e ar na cor que arco-íris
Risca ao levitar
Vou nascer de novo
Lápis, edifício, tevere, ponte
Desenhar no seu quadril
Meus lábios beijam signos feito sinos
Trilho a infância, terço o berço
Do seu lar"

(Nando Reis e Ana Cañas)



Para você estou guardando o meu amor, só não encontrei ainda o caminho onde você está !!! Mais doce que mel !!

Tchau cachorro louco !



Já vem de longa data as histórias, crenças populares a cerca do mês de agosto.
Mês do desgosto, mês do cachorro louco. Histórias de tragédias, catástrofes e por aí vai..

Quando era pequena, viviam me dizendo "guria, cuidado, não vai andar correndo por aí sem olhar pros lados. Olha que é agosto, mês de cachorro louco". Nunca entendi a ligação. O fato é que não parava de correr nem nunca encontrei o cachorro louco de fato (que para me amedrontar tinham uns "espertinhos" que diziam que ele se transformava em lobisomem). Meu Deus, poderia ter me transformado numa criança traumatizada!!!!!!!! Ainda bem que nessas horas nem dava bola, só o que funcionava eram as pernas rua afora.

Pois o agosto se foi ..
E não tive catastrófes e nem tragédias (ainda bem!).

Fui chamada de gordinha numa das minhas corridas pra virar esbelta, mas já me recompus. Tô suando e me acabando todos os dias antes que o palhaço volte.

Não fui mordida por nenhum cachorro, muito menos louco, até porque se não é bonitinho, engraçadinho, desvio na primeira curva por garantia.
Tem uns que se engraçam comigo e eu nem sei porque depois tenho que sair pela tangente para não ter que sair correndo do bichinho.

Tive desgostos com pessoas, mas também já me recompus. Nem no outro agosto para dar uma de cachorro louco e vir se engraçar.
Em contrapartida tive muitos prazeres com outras pessoas, que me alegraram, me surpreenderam, me acrescentam e melhoram meu dia a dia, independente das situações que se encaixam.

Não foi mês de bonanças, mas nem de misérias. Gostaria de ter finalizado alguns projetos, mas sem culpas e desgostos, serão devidamente ajustados para o mês seguinte.

Fazendo as contas até que meu saldo de Agosto, foi positivo.

Assim como no calendário, virei a página.

A página agora é setembro. Seguem os projetos, velhos e novos. Novos ares, novos ventos e novas flores.




quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Abrindo a porta ..


Cada dia me surpreendo mais com coisas, situações e pessoas.
As voltas da vida, as curvas nos trajetos da vida.
Estava em sensação estranha. Uma vontade absurda de escrever, escrever, mas o cérebro não estava acompanhando o movimento das mãos. Cabeça queria reunir idéias, mas não havia jeito de finalizar uma frase sequer.
E isso nem era para somente "bater o ponto" aqui no meu blog querido, mas uma sensação de que precisava escrever, distribuir idéias, pensamentos, sensações , sentimentos e nada andava.
Mas, segue a banda ..

Hoje tive algumas situações digo, interessantes e marcantes. E cada vez mais não me canso de surpreender-me com as pessoas. As vezes tu cria resistências para aproximar-se de alguém, por medo, por achar inapropriado, ou por achar apenas que não deve.
Outras, tu evitas achando que algo não está bem sintonizado e que as coisas podem se complicar ainda mais. Aí deixa pra lá. Pois então, não dá pra deixar pra lá.
O resultado pode ser devastador, mas também pode ser bem construtivo.
E algumas me surpreenderam.

Até porque a primeira situação veio de pessoa que já conheço há algum tempo, sei da postura retilínea, caráter altivo e previa que a recepção seria do tamanho imenso destes. Mas mesmo assim tinha receio, criava resistência. Chega uma hora que tem que abrir a porta e deixar entrar. Ainda mais quando é necessário. E há muito tempo estou tentando deixar o receio e pedir ajuda em momentos necessários e importantes. Pedi e recebi com a dignidade que imaginava que seria. Não foi surpresa a atitude, mas foi um alívio saber que existem pessoas que tem um modo tão mágico de apenas estender a mão quando precisa, que tua alma se alivia e apenas pensei que não dá para ter receio. Apenas ter humildade para pedir uma mão amiga que te ajude exatamente do modo que precisas.
Gesto feito, senti um alívio por saber que há pessoas dignas de amar de todo o coração e contar em qualquer momento.


Noutra situação nos deparamos com outra questão de receio, de puxar o freio. Até onde podemos discutir, falar ou expor o que se sabe depois de constatar fatos.
Foi outra situação deparada. Fatos constatados, semelhanças encontradas. A medida que tu confias numa pessoa, acredita que esta apresenta o melhor de si e no decorrer do tempo tu se depara com o contrário, acha que tudo que está ligado a isso, pode estar no mesmo patamar. Acreditar em alguém e as vezes tu te dares conta de que não é nada disso, que por trás existe exatamente o contrário, que pessoas tem o dom de se mostrar de forma magnífica e que depois este magnífico é um amontoado de coisas medíocres é no mínimo assustador. Mas o que agrega este conjunto, podia, mas ainda bem não está no mesmo patamar.
Concluí que aparadas certas situações, pude constatar que atrás de muitas situações vividas restam cacos que poderão ser colados ou ao menos juntados com cuidado. Não precisam ser jogados fora por simplesmente fazerem parte de um jogo, onde foram manuseadas pessoas.
Mais uma sensação leve, onde depois de ter dado o passo, senti que por trás de muitas situações e ou pessoas, sobram esfolados e arranhões, mas que poderão ser curados.

Há sempre o risco de que esta situação não seja satisfatória, mas temos que ao menos sermos desprovidos de receios e tentar. Tentar abrir a porta e deixar entrar, se assim quiser.

Fecho meu dia desprovida de receios por situações que estava pisando fundo no freio.


segunda-feira, 24 de agosto de 2009



Tico e Teco estão brigados !

Se recusam a fazer as pazes e não estão se falando, se comunicando de forma alguma.
Não deram previsão de quando poderão iniciar um processo de paz.
Há uma intensa mobilização para que este processo se inicie tão logo, mas ainda não foram iniciadas as tratativas.
Seguem as insistências maciças.
Tão logo reine a paz , todos serão avisados, através da publicação de um novo post onde Tico e Teco farão sua ligação mental, criatividade surgirá e palavras fluirão !
Grata pela atenção e que a paz entre os dois volte logo.

Mais selinhos fofos !!



Ganhei mais selinhos !

Tô achando isso um mimo !
E agradeço a minha amiga blogueira Sra. Google, gentilmente , pelos presentes !
Assim como ela, outras blogueiras estão sendo minhas leitoras e ouvintes constantes. Apesar de, por enquanto, serem apenas virtuais, mostram-se em toda sua essência, sua personalidade.
As conversas se cruzam. Idéias, pensamentos, desejos se parecem.
Não temem a exposição e assim vamos nos despindo de coisas que julgo simples, que a muitos é necessário. Esconder-se através de sua "máscara".
Parabéns a nós todas !

Pela coragem, pela sinceridade, simplicidade e por não necessitarmos de máscaras!

Cá, e nós !!

Bjs a todas !

E este selinho vai para alguns :










E agora tem mais outro. Neste tem umas perguntinhas que to respondendo abaixo do selo.

1. Mania: abrir todas as janelas da minha casa até num frio terrível;
2. Pecado capital : nenhum deles se concentra em mim;
3. Melhor cheiro do mundo: bah, dá pra dizer mais de um?
- comida da mamãe,
- homem cheiroso (que delícia),
- 212 - Carolina Herrera;
4. Se dinheiro não fosse problema, eu faria: uma casa no campo para meu pai, uma casa na praia linda, numa praia linda com um heliponto e todo conforto necessário e exagerado para mim, várias viagens ao Exterior por ano e por aí vai ... (a lista é extensa);
5. Casos de infância: jogar futebol com os guris, várias quedas de bicicleta e seus esfolados eternos, fazer comidinhas para os amigos "cobaias";
6. Habilidade como dona de casa: gosto de me aventurar na cozinha. Não sou expert, mas gosto de fazer uns pratinhos;
7. O que eu não gosto de fazer em casa: Limpeza !!! Não tenho síndrome de bruxa, tenho horror de uma vassoura, mesmo que inevitável !
8. Frase: "Nada como um dia após o outro !"
9. Passeio para o corpo: Caminhar, correr na rua, correr na praia;
10. Passeio para a alma: ler um bom livro, estar com os amigos;
11. O que me irrita: mentira, desonestidade;
12. Frase e/ou palavra que fala muito: "bah", "oi, tudo bem?", e frase , a mesma citada acima;
13. Desce do salto e sobe o morro quando: ah, descobrir uma mentira, prepotência das pessoas..
14. Talento oculto: deve estar oculto ainda...
15. Não importa que seja moda, não usaria nem no meu enterro: sapato plataforma, saia rodada.
Selinhos para :